VOLTAR
21/10/2015
Côte D'Azur
A+    A-


 

CÔTE D'AZUR

Desde pequeno este é meu paraíso na Terra. Acho que os deuses criaram a Côte D'Azur para se divertirem, e o fazem até hoje! Nice, St Tropez, Mônaco, Eze e Ville Franche, entre tantas outras cidades e lugares, são o palco, há anos, dos roteiros mais sofisticados e descolados. Mudam os frequentadores, mas a Côte D'Azur continua linda e bem frequentada!

Por Felipe Costa Curta

 

 

Agora é a vez dos árabes e dos russos: eles dominam os restaurantes e as baladas mais badaladas! Até o Skyline monegasco ganha um ar arábico nos novos projetos arquitetônicos de bairros flutuantes, como as Palm Islands dos Emirados. Mesmo a polêmica Tour Odeon, um risco de 170m de vidros azuis que rasga a paisagem do Principado.  Esta é uma questão que divide opiniões! O espaço aéreo é monegasco ou francês? Como definir? 

Mas, enquanto isso, as construtoras seguem seus maravilhosos projetos e criam mais espaços, alterando a pequena área de 2,02Km2, de um dos menores estados do planeta! Seguindo um formato mais adequado ao da riviera francesa, estes projetos não deixam de lado a  forte influência citada acima.

 

 

MÔNACO HISTÓRICA

Desde a pré-história, este rochedo projetado no Mediterrâneo tem registros de habitantes! 

Por sua posição estratégica, Mônaco já foi morada de diversas etnias e diferentes culturas!

De Colônia fenícia a território grego, depois romano, e finalmente Comuna Francesa. 

Até que, em 1297, uma nobre família da República Genovesa colocou a primeira pedra fundamental, onde hoje está o palácio principesco. Em uma série de jogos políticos com o Vaticano, foram estabelecidas concessões de terras e isenções de impostos.  Foram muitas as batalhas entre os franceses e italianos, até que, em 1489, Carlos VIII, rei da França, e Carlos I duque de Savóia, reconheceram a soberania dos Grimaldi sobre o território MÔNACO.

 

 

 

 

 

 

Mônaco ganhou os holofotes do mundo novamente, quando a pupila do cinema Grace Kelly se casou com Rainier III, Príncipe regente de Mônaco.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Em um golpe de marketing e inteligência, Gracia Patricia, como chamam a Princesa de Mônaco, defendeu a permanência do Principado, cercado por França de todos os lados, dos olhos secos do General de Gaule, quando queria destituir a monarquia e o país , integrando-o ao território francês.

 

 

 

  

 

 



Onde a simplicidade se mistura com os sofisticados iates e transatlânticos! Badalada e sofisticada esta cidade, estado, principado, país, pode ser o lugar certo para se comer bem, dançar, se divertir, tomar sol, badalar, se jogar no mar ou frequentar os beach clubs e fazer compras.

O dia perfeito começa abrindo a janela do seu hotel ou apartamento, ou por que não a escotilha do barco, para admirar o azul mediterrâneo que GRITA ao nos dar bom dia.

Um brunch no HOTEL METRÓPOLE, ou o café do HOTEL DE PARIS, um longo e tranquilo café da manhã.


Um passeio pelo rochedo, onde se encontra o Palácio Principesco e a tradicional visita à Catedral de Mônaco, onde estão sepultados todos os membros da família Grimaldi. Especial atenção à mais florida lápide da pequena basílica medieval, com órgão moderno, o túmulo da Gratia Patricia, a princesa Grace Kelly.

 

 

Caminhar pelas ruelas estreitas com vista incrível para a marina ou ainda o Museu de Oceanografia, suntuosamente incrustado no rochedo ao lado do Palácio. Singelas estão as casas dos Grimaldi. Ainda podemos ver o carro 000X1, o primeiro da coleção do Príncipe Rainier III e me pergunto se não era este o carro branco que Grace Kelly dirigia pelas curvas sinuosas da Basse Corniche (estrada costeira que liga todas as pequenas cidades da Côte D'Azur).


Uma rápida passada no Shopping Metrópole, compras e um café com Macarron do Pierre Hermès.


 

 

 

 Almocinho leve no Café de Paris, com direito a algumas tacinhas de Piscine de Rosée ( champanhe com gelo) para assistir o show de Mônaco, os desfiles dos carros e das joias, bolsas e mais bolsas, além dos lançamentos das últimas coleções, todos passeando ao redor do Carrée D'Or, o quadrilátero composto pelo Cassino, Hotel de Paris, Café de Paris e a Praça do Jardim Exotique, onde hoje estão os modernos pavilhões   Chanel, Balenciaga, Dior, LV e a incrível Czarina, fantástica loja de decoração de Adriana Elia, filha de Lily Safra, com peças exclusivas, únicas, desenhadas e escolhidas por ela mesma. Um verdadeiro deleite. 
Depois um pouco de sol no MONTE CARLO BEACH CLUB, um festival de carros e joias em desfile à beira da piscina salgada

 

Final da tarde, um happy hour no HOTEL METROPOLE pode ser dividido entre o sofisticado bar ou a piscina, com público mais jovem!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

E quando a noite cair, esteja pronto para o SASS Café! Há anos o Sass é o palco das festas mais animadas de Monte Carlo. Sammy e seu pai fazem as baladas mais desejadas! Depois de um jantar delicioso, às 23h, a música aumenta e as luzes abaixam: o resultado é uma turma super empolgada, dançando nos sofás de veludo com paredes vermelhas e cantando, dançando e fazendo rodadas de Dom Perignon com fogos todas as noites!

 

 

 


Momento maravilhoso para visitar Monte Carlo é em maio, durante o Grande Prêmio de Fórmula 1. Mônaco ganha uma atmosfera diferente, o mundo inteiro olha para este pequeno pedaço milionário do mundo, e pilotos, modelos e marcas de tudo estão ali! Um festival glamuroso, onde se roncam motores e acelera-se nas ruas mais cobiçadas do planeta!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O Mônaco Yach Show, a feira náutica onde os mais novos modelos de barcos são apresentados sempre em setembro, este ano aconteceu entre 23 e 26 de setembro, e o detalhe mais especial à direita da marina, onde ficam os Riva. 

 

 

 

 

 

 

JUNHO é a vez do principado transformar-se em picadeiro e vários dos mais lindos e condecorados cavalos desfilam e saltam, durante o MONTE CARLO INTERNATIONAL HORSE SHOW.

EZE VILLAGE

Quando se está em Mônaco, difícil deixar o Principado, mas impossível é deixar de conhecer / frequentar o que está em volta! Este é o caso da fantástica vila medieval EZE VILLAGE. A apenas alguns minutos de carro, pela Moyenne Corniche (estrada do meio que liga Mônaco a Nice), esta esta cidade que parece ter saído de um conto de fadas, aliás, ali Walt Disney se hospedava para se inspirar em seus contos e histórias. Não é difícil imaginar. Por suas ruas de pedras com portinhas e flores, fontes espalhadas pelo caminho, lojas de brinquedos e, às vezes, temos a sorte de encontrar um senhor tocando violinos. Ali está a maravilhosa igreja amarelo-terroso, corroída pelo tempo e pelo sal (que Adolf Hitler armazenava, durante a 2ª Grande Guerra).

 

 

   

 

 

 

Pelas ruas, segredos se desvendam: uma lojinha de azeites, uma galeria de arte, uma senhora que pinta vidros... e assim vai! Mas, a maior descoberta de todas, um dos motivos pelo qual volto todos os anos, há mais de duas décadas, é sem sombra de dúvidas a vista...  e tem um lugar de onde esta vista pode ser contemplada e maravilhada com direito a um maravilhoso café, patisseries incríveis e um almoço esplêndido. Assinado pelo Relais & Chateau, está o La Chevre D'Or, um incrível hotel que se mistura às ruelas da cidade e nos perdemos sem saber quando começa ou termina! 

 

NICE

O Mercado das Flores, em NICE, é outra parada imperdível, para quem escolher a Côte D'Azur como destino. As lojas de chocolates, de sabonetes, e as estreitas ruas da cidade antiga são fantásticas. Um cafezinho ou um drink no happy hour do hotel Negresco, com suas esculturas de Niki de Saint Phalle e sua fantástica galeria de artes. Um passeio pela conhecida Promenade des Anglais, contemplar a mais linda vista da Bahie des Anges, sentado nas tradicionais cadeiras azuis.

Outra coisa que não se pode deixar de fazer pela manhã, antes das 11, é caminhar pelo Cours Saleya, o “calçadão” com as bancas de legumes que, ao cair da manhã transformam-se em bancas de flores e, no final da tarde, em restaurantes com as iguarias mediterrâneas, um delicioso momento para se tomar um Spritz (champanhe com suco de laranja e Aperol, carro-chefe deste verão no Mediterrâneo). Depois de caminhar bastante, um cafezinho no L’Art de Chocolat me parece um STOP obrigatório. No 21 Rue du Marché está  o L’ Art Gourmand, uma loja de doces e chocolates de tirar qualquer um da dieta!

 

 

   
   

TROMPE L’OEIL

Presente em várias cidades da Côte d’ Azur, é uma técnica utilizada para adornar prédios ou casas com pinturas em 3D, que simulam estuques ou esculturas, desde a estação ferroviária de Nice até os prédios urbanos ou vilas à beira mar. Esta técnica é bem utilizada e confunde quem não estiver extremaante atento!

 

 

VILLE FRANCHE 

Um caso à parte, uma cidade de pescadores que ganhou charme de vila simples, entre Nice e Mônaco. Praia com areia, um delicioso entardecer e restaurantezinhos na marina, para uma pizza, uma massa e uma geladíssima taça de Piscine.

 

 

 

 

 

 

 

 SAINT   TROPEZ

Saint Trop, como é conhecida pelos íntimos, é uma antiga vila de pescadores que hoje é o palco do glamour descontraído e descolado da Riviera Francesa!

Diferente de Mônaco, onde o glamour é feito com muita pompa e circunstância, em St. Trop o glamour é de bermuda e tropezienne (como é chamada a nossa rasteirinha) em um barquinho Riva com uma garrafa de champanhe! O que nos pinta um quadro perfeito de Bardot, musa que ajudou a levar o nome desta pequena e charmosa praia para o mundo!

Hoje a melhor maneira de se ir para St. Trop é, sem dúvida, de barco ou de helicóptero; de carro não é boa ideia, pois pode-se ficar quase 8h na estrada! O que não é nada gostoso, depois de um dia exaustivo de sol e champanhe no Club 55 ou no Bagatelle! Beach Clubs disputados em euros pelo badalado e descolado jet set nos dias quentes de verão.Thaiti Beach é um pouco mais cool e a música vai até mais tarde! Ainda tem o mais conhecido Nikky Beach.

Mas, em Saint Tropez, antes de cair na gandaia e nas águas maravilhosas do Mediterrâneo (que é bem mais glamouroso quando se entra por St. Trop), almoce no Dior Delice, o maravilhoso restaurante da Maison Dior. Não se esqueça da sobremesa, que sempre surpreende. Mas deixe o café para alguns passos dali, no sazonal Cavalli Café.

 

 

 

 

Cap Ferrat

Cap Ferrat é um dos endereços mais exclusivos do planeta, vilas maravilhosas e milionárias escondidas entre muros verdes e o Mediterrâneo. A combinação é perfeita!

Este pedaço de terra que, visto do alto de Eze mais parece uma ilha, guarda os metros quadrados mais caros do mundo. Exemplo destas é a antiga propriedade do Rei Leopoldo II, da Bélgica. Construída em 1902 para suas amantes, considerada a segunda casa mais cara do planeta, nomeada Villa Leopolda, há vários anos é propriedade da viúva de Edmund Safra, Lily.

A histórica casa já foi usada por Hitchcock em 1955,como cenário do filme “Ladrão de Casaca”. Esta maravilhosa propriedade quase foi arrematada por 736 milhões de euros (aproximadamente de 3 .320 bilhões de reais)  pelo russo Michail Prokhorov. Têm 11 quartos, 14 banheiros e mais de 10 hectares de terra praticamente virgen.

Villa Ephrussi  Rothschild 

A Villa Ephrussi Rothschild é uma das mais lindas propriedades abertas a visitação que podemos conhecer. A Villa Ephrussi de Rothschild, também chamada de Villa Ile-de-France, tem um magnífico palácio renascentista edificado no topo de uma montanha em Cap Ferrat, com vista do mar de todos os lados, que lembra a vista do convés de um navio. Aliás, era esta a ideia principal da Baronesa de Rothschild, que esteve a bordo do vapor Île de France, da Sociedade Geral de Transportes Marítimos (S.G.T.M.) em recordação de uma viagem memorável. "Ela impunha aos seus jardineiros o uso duma boina de marinheiro, dando assim a ilusão de viver rodeada por uma tripulação num iate, dando a volta ao mundo". A construção desta magnífica obra demorou 7 anos, após uma disputa com o Rei Leopoldo, da Bélgica, pela área. O terreno foi dinamitado e aplanado. Foi aí que a excêntrica magnata, depois de vários protótipos em escala real, começou a construção. 

Preenchido cuidadosamente por mobiliário antigo, pinturas de renomados mestres e incríveis esculturas, dentre tantos objets d'art e adoradora do belo, Béatrice Ephrussi de Rothschild era uma exémia colecionadora de porcelanas raras. Em sua coleção estão algumas peças que pertenceram a Napoleão Bonaparte, Madame Pompadour, Joséphine de Beauharnais , uma infinidade de manofaturas de Sévres.

JM Magazine 58

JÁ NAS BANCAS!





AMPLIAR CAPA
Social:
ENQUETE



EMPRESAS DO GRUPO JM DE COMUNICAÇÃO
Publicidade: (34) 3331.7900 ou contato@jmmagazine.com.br
www.jmmagazine.com.br © 2017 · Todos os direitos reservados
AGÊNCIA DIGITAL