VOLTAR
06/01/2016
CROÁCIA
A+    A-


Onde praias incríveis de calcário e Mediterrâneo Adriático se fundem em azul e branco e nos confundem os olhos! As paisagens são inesquecíveis e, por mais rústico que seja o lugar, já encontramos uma excelente infraestrutura: são restaurantes, bares, museus e espaços abertos, ruínas e monumentos repletos de história. Assim é a Croácia! De desconhecido país do leste europeu, o país foi guindado à nova sensação do turismo internacional. Você vai saber por quê.

Por Felipe Costacurta

 

Croácia significa, em eslavônico, “povo das montanhas”. Dona de uma das melhores economias dos Balcãs, a Croácia vem sendo descoberta por turistas e curiosos. Hoje, 7% do turismo europeu procura a Croácia como destino. Dos 6,5 milhões de turistas que visitam o país anualmente, 40 mil são brasileiros. Um país lindo, de gente feliz, com personalidade e forte característica do povo Adriático! Paisagens de tirar o fôlego, mar que permite ver-lhe o fundo, o país em forma de “U” colorido ao meio pelo azul do Mar Adriático tem mais de 1.000 ilhas, que dão a essa paisagem um skyline único, lembrando um pouco da costa da Grécia.

FRONTEIRAS

A República da Croácia tem fronteiras com a Eslovênia e Hungria, Sérvia, Bósnia e Herzegovina, Montenegro e sofre as influências do Adriático, mar que banha a Croácia.  Além de tantas fronteiras terrestres, este incrível país encontra-se com a Itália em uma fronteira marítima! Uma das mais próximas ilhas croatas do território italiano é Palagruza,  de onde, à noite, lá longe no horizonte, conseguimos enxergar um claro: a Itália.

O que usar:

Os turistas que frequentam a Croácia são “desencanados”, mas transados. Normalmente nessa região do planeta a moda “navy” é sempre a mais indicada!

Roupas leves e uma rasteirinha ou algo bem confortável. Claro que tudo depende do seu “travel style”.  Não deixe de levar sabatinas para entrar no mar! Aliás, o mar da Croácia é maravilhoso, mas desde o aeroporto percebemos que há inúmeras pessoas feridas, pois os ouriços gostam tanto da Croácia quanto nós. Então, entrar no mar sem proteção pode estragar suas férias! No mais, é relaxar e aproveitar as belezas da costa da Dalmácia, uma região repleta de destinos únicos e programação intensa, tanto durante o dia quanto à noite!

 

A MELHOR ÉPOCA PARA IR

A melhor é a mais quente do ano, que vai de meados de junho até agosto.

Com uma pitada de vida praiana, museu ao ar livre, uma mistura de tempos e culturas esculpidas na sua arquitetura, a Croácia tem muita história para ser contada! 

“Ouvi-la” através de suas pedras sobrepostas em ruínas e cidades, monumentos… e pela boca de seus habitantes é mergulhar em uma história de transformação constante, de momentos difíceis, superados e hoje rebatidos com muita dignidade, força e, sem dúvida, com muita alegria! Contrapondo essas histórias, podemos nos deparar com obras modernas, como o órgão natural, que é composto de tubos na calçada, capazes de reproduzir o som das ondas empurrando o vento e criando música, a cada dia diferente, de acordo com o movimento da natureza. E as milhões de placas solares que, ao anoitecer, se acendem e fazem um jogo de movimento e luz, no chão da praça central.

Descontraído, alegre e tranquilo é o povo croata!

Com Wi-Fi gratuito na maioria das cidades, alta qualidade de vida e paisagens deslumbrantes, a Croácia hoje é o “landscape” escolhido por muitos famosos em fuga dos holofotes. De maneira exuberante, ali a natureza se mostra. Além de tudo isso, respira-se na Croácia um dos ares mais puros do planeta.

Não posso me esquecer de citar a cor da água… ahhh esta é única! Centenas de tons de azul se dividem e se fundem ao longo do horizonte… Quase um feitiço nos inebria, tamanha a beleza desse pedaço do planeta!

Patrimônio da Humanidade

Sete são os lugares declarados como Patrimônio da Humanidade. Dubrovinic, ao sul do Mediterrâneo, com 1.200 anos, é considerada a terra do sal puro e guarda a maior muralha da Europa. Pedra sobre pedra, ela começou a ser erguida em 1358 e foi concluída no século XV. São dez metros de altura por sete metros de espessura. Vale lembrar que não havia tecnologia para fazer qualquer construção que não fosse manualmente.

 

A MENOR CIDADE DO MUNDO

A menor cidade do planeta também está na Croácia: HUM, uma vila de duas ruas, nove carros e 24 moradores. Esta cidade do ano de 1100 fica na península de Istra. Tudo de pedra em blocos, cheia de vasos e de flores, pois ali vivem agricultores. O único estabelecimento comercial, que recebe 20 mil turistas por ano, é um pequeno e charmoso restaurante do Sr. Alexander. O mais engraçado é que ainda hoje a cidade tem, como na Idade Média, uma porta e as chaves ficam com o prefeito, mas essa porta nunca fecha! Com tão poucos habitantes, a criminalidade é zero, e, assim como a porta da cidade, as portas das casas dos moradores vivem destrancadas. Aliás, essa é uma mania dos croatas, mesmo em Zagreb, que é a capital. Em Split, cidade bem turística, é comum vermos carros abertos, com bolsas nos bancos, e pessoas mais tranquilas passeando à noite. Mulheres caminham sozinhas e todos em segurança.

Zagreb, capital

A maior cidade e capital da Croácia é Zagreb, situada entre a margem do Rio Sava e a encosta do monte 

Medvednica. Um ponto estratégico entre a Europa Central e o Adriático, Zagreb tem um grande parque industrial e científico. Também é ali que funciona a máquina do governo, órgãos administrativos nacionais e ministérios. Zagreb tem seu charme, embora não seja interessante como as outras cidades. 

Com duas cidades, alta e baixa, vemos dois momentos da história, e em um simples mercado de rua do dia a dia, absorvemos a beleza das tradições do povo croata, não só pela sua arquitetura, mas pelas suas cores, pela maneira como expõem os legumes, pelos sabores dos petiscos que vamos saboreando enquanto caminhamos entre suas barraquinhas de feira… e entre sorrisos e um perfume adocicado e desconhecido pelo nosso nariz, vamos descobrindo a alma do lugar, do seu povo. Vamos nos misturando ao lugar e nos perdendo entre as ruas — um efeito camaleão —, desta vez não para nos protegermos, mas para adquirirmos cultura e conhecermos mais e mais cada destino que visitamos!

Ainda no mercado, a parte coberta é outro mundo a ser descoberto.

SPLIT

 É comum ouvir nas ruas que sair da Itália em agosto em direção à Croácia, com o Sol nascendo, proporciona uma das mais lindas cenas que se pode ter na vida. O Sol refletido nos montes Kozjak e Mosor, cheios de Spalatum (nome em Latim da flor típica da região e responsável pelo nome Split) faz parecer que estamos chegando a montanhas de ouro. Esta cidade teve origem em torno do palácio de Diocleciano, mas  há registros anteriores de uma vila grega nesse lugar. Split já foi romana, bizantina, húngara, austro-húngara e até “napoleônica”! Com essa mistura étnico-cultural, o lugar não poderia ser mais incrível.

Praias em Split

Zvoncac, Jezinac e Obojena: fáceis de ser acessadas a partir do centro antigo da cidade. O melhor é, se possível, ir de carro ou em outro meio de transporte até as proximidades de Zvoncac, a primeira parada para quem vem do centro de Split. Na sequência estão as outras duas. Este é um passeio imperdível, mas atenção: as praias são de pedra. Perfeitas para nadar. Prefira Zvoncac e Obojena, onde é possível estender uma toalha em certos trechos ou alugar uma cadeira de praia. Não há grande estrutura de restaurantes e bares, mas podemos encontrar alguns ao longo do percurso. Nas noites de verão, essas praias são o hit das baladas e festas. 

Bacvice, a praia mais famosa de Split, é também ponto de encontro do Picigin, esporte típico e local, que usa uma pequena bola para pessoas de um mesmo grupo, sem deixar o objeto tocar a água. O lugar é calmo, com o mar cristalino e lindo, com infraestrutura bacana, onde podemos alugar cadeiras e gozar dos serviços de restaurante.

Bobis-Riva é ideal para o brunch, de frente para a orla de Split, mais conhecida como Riva. O Bobis é um café aberto em 1949, que também pode ser encontrado em outras partes da cidade. Não deixe de experimentar os salgados folheados típicos, além dos sucos. O Bobis abre de segunda a sábado, das 6h às 22h, e aos domingos, das 7h às 22 horas.

Área verde

Parque florestal Marjan é o pulmão verde de Split.  Com rica fauna e flora, o monte Marjan abriga uma série de atrações locais, o zoológico e uma igrejinha, datada do século XV, que também é um Patrimônio da Unesco. Ideal para bikes, para corredores e a turma do esporte outdoor. Um lanchinho no parque também não pode faltar: passe no mercado, na feira Pazar e compre pães, iguarias, vinho e leve tudo para o parque. Você vai conhecer pessoas, pois o croata é supercomunicativo e feliz!

Hvar - A ilha

Esta é uma ilha incrível! Maravilhosa, com momentos especiais reservados para quem a visita. Até o cheiro do mar é de tirar o fôlego!

Ao desembarcar-mos, a impressão é de estarmos chegando a um paraíso isolado do mundo moderno. Uma atmosfera leve e alegre toma conta da nossa alma e, em instantes, nem nos lembramos de que existe outro lugar no planeta. A começar pelo calçadão de mármore, repleto de palmeiras e todos os cafés e restaurantes, lojas espalhadas de maneira charmosa e os barcos ancorados às suas margens.

Pôr do Sol: no BB Club Hvar, um bar que oferece boa seleção de drinques, sempre com uma supermúsica e de frente para o mar. 

O restaurante Gariful é famoso pelos pratos  e sua culinária mediterrânea, com base em peixes e frutos do mar.

Alugue no escritório de turismo local Jadrolinija um barco privado, ou compre um bilhete em algum barco público, pois esses barcos funcionam como táxis ou ônibus, e não deixe de passar um dia em Jerolim, uma ilha com pouquíssima estrutura, mas com beleza estonteante. Um único restaurante reserva puffs espalhados pela ilha e visitantes do mundo todo desfrutam de um pacífico banho de sol e mar!

PS: ali você pode comprar seu bilhete para voltar a Split.

Bala Fabrika

Na movimentada rua de Hvar, na orla, você encontra vários barzinhos e baladas noturnas com DJ, ambiente interno e externo — Kiva Bar, o Náutica e o Café Aloha, além do Carpe Diem, que é o mais famoso, e as baladas acabam às oito da manhã, com os pés na marina.

Na mesa e na taça… GASTRONOMIA 

Vinhos, Mastiha, Trufas e uma saudável alimentação Mediterrânea.

As trufas brancas e negras têm um forte comércio na Croácia; uma trufa pode custar mais de quatro mil reais.

Vale experimentar os omeletes com queijo e trufas e  um delicioso e fresco vinho croata. Em terras com cascalho em clima frio e seco (no inverno) produzem-se maravilhosas uvas. Outra iguaria são os azeites — esse clima é perfeito para as oliveiras.

O risoto negro (de lula) é um prato tradicional, servido com limão siciliano e rúcula. O arroz é tingido pela tinta que a lula solta ao se defender do predador.

Ostras são cultivadas pelos croatas em fazendas locais, e, em pouco tempo, adoradas pelos viajantes.

Curiosidades vindas da Dalmácia

A Guarda em uniforme do século 15 usava gravata (cravate), acessório feito pelas esposas dos soldados como símbolo do amor, da união e da fidelidade ao marido.

A Croácia é um destino SENSACIONAL!

Aproveitem a viagem e me encontrem no Hula Hula.

Abraços,

 

 

JM Magazine 58

JÁ NAS BANCAS!





AMPLIAR CAPA
Social:
ENQUETE



EMPRESAS DO GRUPO JM DE COMUNICAÇÃO
Publicidade: (34) 3331.7900 ou contato@jmmagazine.com.br
www.jmmagazine.com.br © 2017 · Todos os direitos reservados
AGÊNCIA DIGITAL